O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA

Uma coisa que eu aprendi nesses 34 anos de exercício profissional é que a maioria das sugestões que podemos fazer ao Crea pode ser simplesmente impraticável. Na hora que a proposta surge ela parece simples, prática, barata… mas depois começam a aparecer os obstáculos, os impedimentos legais, as idiossincrasias do sistema… e a proposta que parecia ser ótima acaba virando fumaça.

Por isso, adianto desde já que não será uma decepção descobrir, daqui a pouco, que esta ou outras propostas que eu possa fazer seja considerada uma utopia ou algo que não é praticável na estrutura ou conjuntura dos Creas ou do Confea. É do jogo. Segue a vida.





Imagem: OitoNoveTrês



(Ano 01 - Número 02 - Publicado em 15/10/2020)



Dito isto, vamos a uma proposta que eu apresentei pela primeira vez no meu site, em 2011: o Confea e os Creas devem investir no apoio ou patrocínio de eventos como as Olimpíadas de Ciências ou Olimpíadas de Matemática.

A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.

Um dos caminhos para a solução disso, na minha avaliação é o Confea e os Creas abraçarem essa causa e tê-la como importante e urgente.

O nosso presente precisa ser influenciado pelo nosso futuro. A engenheira Elaine Marcial nos ensina que "o futuro deixa pegadas no presente". Isso significa que o futuro não é tão incerto, como dizem muitos. E os engenheiros sabem disso, pois vivem de antever e forjar o futuro. O futuro é uma de nossas matérias primas. Nosso objeto de estudo e trabalho. Afinal, o que é um projeto técnico senão uma maneira que o homem inventou para criar as condições para o futuro desejado?

O que o Crea pode fazer? Não é pouco! Pode, por exemplo, estimular e promover feiras de ciências, palestras nas escolas, passeios culturais de caráter científicos, olimpíada de Matemática, jogos científicos e outras atividades que promovam entre os pequenos o gosto pela Matemática, pela Física, pela Química... pelas ciências, enfim.

O Confea e o Crea podem agir, de forma insistente e determinada, sobre os governos municipais, estaduais e federal, no sentido de investir e valorizar (não apenas nos discursos, mas nas práticas e nos aportes de recursos) as escolas e os professores do ensino fundamental.

O apoio do Confea e dos Creas a esse tipo de atividade, além de ser uma ação de marketing muito positiva (e de baixo custo) estará contribuindo efetivamente para melhorar o ambiente de trabalho para as futuras gerações de profissionais de Engenharia do país.





PADILHA, Ênio. 2020





Leia também: CARTA AOS PRESIDENTES ELEITOS DOS CREAS
Uma eleição cria, em torno do candidato, uma bolha de otimismo e de apoio. Nesta bolha ninguém (a não ser que seja muito amigo) irá apontar o dedo e dizer que você está errado. Isso é um perigo. Você não pode levar essa bolha para dentro do Crea. Lembre-se da frase de Santo Agostinho: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."

O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA
A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.

TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO
Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

FISCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA
É comum que o presidente do Crea defina a si mesmo como um Gestor. Mas não foi para isso que ele foi eleito. Ele foi escolhido para liderar. Existe uma diferença entre essas duas coisas.

OS DOIS PRINCIPAIS RECURSOS DE MARKETING DO CREA
Promover eventos e fazer publicações são as principais atividades MEIO de um Conselho Profissional, uma vez que são os eventos, juntamente com as publicações, as ações pelas quais a organização reúne e obtém o envolvimento de pessoas visando a consecução dos seus objetivos finais

ELEIÇÕES NO SISTEMA CONFEA CREA 2020 (RESULTADOS)
Relação dos candidatos eleitos em todos os Creas





Clique AQUI e deixe o seu comentário.

Contudo, se move!

GALILEU GALILEI

Físico, matemático, astrônomo e filósofo (1564-1642), acredita-se que Galileu tenha dito esta frase depois de ser forçado pela Igreja a negar a Teoria Heliocêntrica

Portanto, concluo que o nosso modo de chegar ao conhecimento, como chegamos lá e o número de coisas que conhecemos, é infinitamente superado pelo conhecimento divino; mas não por esse motivo o desvaloriza o suficiente
para considerá-lo absolutamente nada; de fato, quando considero quantas coisas maravilhosas os homens estudaram
e operaram, reconheço e compreendo claramente que a
mente humana é a obra de Deus e a mais excelente.

GALILEU GALILEI

Físico, matemático, astrônomo e filósofo (1564-1642), citado em Dialogo: in Barocco italiano, de 1632

A filosofia é escrita neste grande livro, que permanece continuamente aberto diante dos nossos olhos (eu digo o "Universo"), mas não pode ser entendido sem primeiro aprender a compreender a linguagem e conhecer os personagens como está escrito. Está escrito em linguagem matemática, e seus personagens são triângulos, círculos e outras figuras geométricas, sem as quais é impossível
entender humanamente uma palavra; sem estes está
vagando em um labirinto escuro.

GALILEU GALILEI

Físico, matemático, astrônomo e filósofo (1564-1642),
citado em Elementos planos e sólidos de Euclides em ilustris: quinto livro dos elementos de Euclides ou ciência universal das proporções explicada com a doutrina de Galileu, de Vincenzio Viviani, página 62

Não me sinto obrigado a acreditar que o mesmo Deus que nos dotou de sentidos, razão e intelecto pretendeu que renunciássemos ao seu uso.

GALILEU GALILEI

Físico, matemático, astrônomo e filósofo (1564-1642), em Carta à Grã-Duquesa Cristina (1615) citado no livro Aspectos da Civilização Ocidental: Problemas e Fontes na História, de Perry McAdow Rogers, página 53

O grande livro da Natureza jaz aberto diante de nossos olhos
e a filosofia verdadeira está escrita nele... Mas não podemos
lê-lo a menos que tenhamos aprendido antes a língua e os caracteres no qual foi escrito... Ele foi escrito na linguagem matemática e os caracteres são triângulos, círculos
e outras figuras geométricas.

GALILEU GALILEI

Físico, matemático, astrônomo e filósofo (1564-1642),
citado no livro A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb, página 320

OS ALGORITMOS E OS ILUDIDOS
(Twitter)

Clique AQUI e leia o post completo.

200 ANOS. 200 ANOS!

(Publicado em 09/09/2020)



Faltam 2 anos para que o Brasil e os brasileiros comemorem 200 anos da declaração de Independência. Eu vou comemorar, sim. Mas eu sei que não vai faltar quem aproveite a efeméride para destilar toda a sua mágoa e tristeza pelo fato de o Brasil não ter conseguido, nesses primeiros 200 anos, desenvolver todo o seu potencial.
Para esses amigos inconformados, tenho duas ou três palavrinhas:





Independência ou Morte ou O Grito de Ipiranga, pintura de Pedro Américo (1888). Acervo do Museu Paulista



Durante muitos anos (quando eu era jovem e tolo) eu não comemorava aniversários. Mais do que isso: eu tinha um discurso contra a comemoração de aniversários. Eu dizia, cheio de graça, que apenas duas coisas eram inevitáveis depois que você nasce: "morrer um dia e fazer aniversário todos os anos". E eu sustentava: "não existe mérito nenhum em fazer aniversário. Qualquer um faz. Qualquer idiota faz aniversário!"

Como eu disse, eu era jovem, tolo... e chato. Um mala e um estraga festas.

Melhorei depois dos 30 anos. Criei juízo, acho. Comecei a perceber a importância de a pessoa ter um dia só pra ela. Pra renovar seus propósitos, fazer um balanço de suas conquistas, por mínimas que sejam. Ter uma data para fechar um ciclo. E para comemorar a abertura de uma nova contagem.

É claro que hoje eu comemoro os meus aniversários. Comemoro os aniversários dos meus amigos e até outras datas comemorativas, como o Dia do Engenheiro (11/DEZ), Natal, Ano Novo, aniversário da minha cidade (Balneário Camboriú, 20/JUL) e até mesmo o aniversário da cidade onde eu nasci (Rio do Sul, 15/ABR).

No dia do meu aniversário eu não quero falar sobre o fato de eu estar ficando mais velho, mais gordo, com menos cabelos ou com menos força e resistência física. Não quero falar sobre o fato de eu não ter me tornado rico, nem sobre ter votado errado muitas vezes ou feito escolhas equivocadas em determinados momentos da vida. Não! É meu aniversário. Tenho todo o resto do ano para pensar nessas coisas todas.

O meu aniversário é dia de comemorar o fato de eu ter feito algumas escolhas corretas na vida. De ter uma família bonita e feliz, duas filhas maravilhosas, algumas conquistas profissionais bem bacanas, uma casa pra morar, uma vida confortável... não é pouco! Acende o fogo da churrasqueira. Abre a cerveja!

Pois bem, em 2022 teremos uma data cheia: 200 anos da Independência do Brasil. Temos alguma coisa pra comemorar? É claro que temos. E devemos! Teremos 23 meses, daqui até lá, para falar sobre tudo o que há de ruim no país. Não faltam mazelas. Mas custa dar uma trégua em setembro e comemorar o que temos para comemorar?

O Brasil é um país muito jovem. Temos apenas 520 anos de existência total e talvez não mais do que uns 250 anos de identidade própria. África, Ásia e Europa estão cheios de países com mais de 1500 anos de história. Como eles estavam (o que já haviam conquistado) aos 200 anos?

A comemoração dos 200 anos da independência não é do governo nem da oposição. Não é da esquerda nem da direita. Não é dos ricos nem dos pobres. É nossa! É dos brasileiros.

Já caímos nessa bobagem, no ano 2000, quando movimentos de esquerda sabotaram as comemorações dos 500 anos do descobrimento. Perdemos uma grande oportunidade de fazer uma grande festa, renovar os propósitos, abrir a contagem para uma nova era. Foi tudo consumido por um FLA x FLU idiota e destruição dos "Relógios da Globo". Aquele povo que tinha o monopólio da inteligência literalmente, jogou água no chope de todos nós com o discurso de que "não havia nada para comemorar".

Em setembro de 2022 (se Deus quiser) estaremos em plena campanha eleitoral. Não deixe que a comemoração dos 200 anos da Independência vire tópico de campanha de nenhum candidato. Já perdemos a liberdade de usar roupas vermelhas ou amarelas. Já perdemos o direito de usar a nossa bandeira ou a camisa da nossa seleção de futebol, sem ser associado aos grupos de extrema esquerda ou estrema direita. Chega!

Em setembro de 2022 a festa tem de ser de todos! Eu estarei nas ruas, comemorando. Espero por você.





PADILHA, Ênio. 2020







Este post já tem comentários. Quer ler? Clique AQUI

OS DOIS PRINCIPAIS RECURSOS DE
MARKETING DO CREA

Duas coisas são essenciais para o marketing do Crea: os eventos e as publicações.

Promover eventos e fazer publicações(*) são as principais atividades meio de um Conselho Profissional, uma vez que são os eventos, juntamente com as publicações, as ações pelas quais a organização reúne e obtém o envolvimento de pessoas visando a consecução dos seus objetivos finais.





Imagem: OitoNoveTrês



(Ano 01 – Número 05 – Publicado em 10/11/2020)



É através dos eventos que o Crea promove as interações e oportunidades de intervenção (através de ações esclarecedoras e produtivas) sobre as percepções dos envolvidos (sejam os profissionais ou a sociedade).

Um evento é um acontecimento que tem (a) um momento definido para começar, (b) um tempo de duração estabelecido e (c) um ou mais objetivos a serem atingidos.

Os eventos podem ser culturais, esportivos, empresariais, técnicos, fechados ou abertos, gratuitos ou pagos e de abrangência local, regional, estadual, nacional, internacional.

Nos Creas, os eventos importantes são, geralmente, EVENTOS EMPRESARIAIS.

São eventos que envolvem profissionais, com objetivos de aprimoramento técnico, gerencial ou político. Caracteriza-se por seu público de interesse (empresários, profissionais liberais ou autônomos, estudantes de áreas profissionalizantes) e pelos temas centrais (desenvolvimento profissional, aquisição de informações...).

Os exemplos mais típicos de eventos empresariais são os cursos, seminários, palestras, painéis, oficinas e congressos.

O Crea realiza e/ou apoia/patrocina eventos empresariais em todo o seu território de jurisdição dispensando para essa atividade uma considerável soma de recursos, sendo razoável, portanto, que se avalie o potencial de marketing que esses eventos apresentam para a organização.
A maioria dos problemas identificados na organização e promoção de eventos pelos Creas (ou por entidades patrocinadas) está ligada ao processo decisório.

Uma das características fundamentais dos eventos é a sua hora marcada. Uma vez determinado, o evento não espera. Ele irá acontecer no momento previsto. Isto é dado como variável incontrolável. As outras coisas é que vão variar de acordo com as decisões dos organizadores.

A qualidade do evento bem como seus custos são resultados diretamente vinculados à antecedência das decisões tomadas. Em linguagem de engenheiro podemos dizer que a qualidade do evento (Qe) é diretamente proporcional ao tempo decorrido entre a Tomada de Decisão (TDe) e a realização do evento; por outro lado, os custos do evento (Ce) são inversamente proporcionais ao tempo decorrido entre a Tomada de Decisão (TDe) e a realização do evento.

Assim, (1) Qe = k * TDe

e (2) Ce = k * 1 / TDe

A combinação das equações (1) e (2) pode ser enunciada da seguinte forma: “quanto mais demorada é a decisão sobre o evento, menor será a sua qualidade e maior será o seu custo”.

Esta conclusão, por mais óbvia que possa parecer, não tem sido observada por quem decide sobre os eventos, gerando enormes desgastes e prejuízos para o Crea e para o Sistema Profissional como um todo.

É preciso um planejamento estratégico cuidadoso para a escolha dos eventos que serão organizados, promovidos, patrocinados ou apoiados, visando otimizar os resultados esperados para o marketing da instituição
.





PADILHA, Ênio. 2020




(*) Trataremos das publicações em outra edição.




Leia também: CARTA AOS PRESIDENTES ELEITOS DOS CREAS
Uma eleição cria, em torno do candidato, uma bolha de otimismo e de apoio. Nesta bolha ninguém (a não ser que seja muito amigo) irá apontar o dedo e dizer que você está errado. Isso é um perigo. Você não pode levar essa bolha para dentro do Crea. Lembre-se da frase de Santo Agostinho: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."

O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA
A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.

TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO
Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

FISCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA
É comum que o presidente do Crea defina a si mesmo como um Gestor. Mas não foi para isso que ele foi eleito. Ele foi escolhido para liderar. Existe uma diferença entre essas duas coisas.

OS DOIS PRINCIPAIS RECURSOS DE MARKETING DO CREA
Promover eventos e fazer publicações são as principais atividades MEIO de um Conselho Profissional, uma vez que são os eventos, juntamente com as publicações, as ações pelas quais a organização reúne e obtém o envolvimento de pessoas visando a consecução dos seus objetivos finais

ELEIÇÕES NO SISTEMA CONFEA CREA 2020 (RESULTADOS)
Relação dos candidatos eleitos em todos os Creas





Clique AQUI e deixe o seu comentário.

FISCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA

O presidente do Crea é, naturalmente, um líder. Provou isso, ao vencer a eleição. Para isso ele teve de conquistar seguidores, compartilhar uma visão de mundo e um modelo de gestão.

É comum que o presidente do Crea defina a si mesmo como um Gestor. Mas não foi para isso que ele foi eleito. Ele foi escolhido para liderar. Existe uma diferença entre essas duas coisas.

O Crea precisará, sempre, de um líder, mais do que um gestor. E o exercício da liderança precisa estar ancorada em uma estratégia.

É aqui que entra a fiscalização, pois ela é uma instância estratégica do Crea, embora nem sempre seja reconhecida e tratada desta forma





Imagem: OitoNoveTrês



(Ano 01 – Número 04 – Publicado em 27/10/2020)



Nove em cada dez engenheiros, quando fazem a lista de quais devem ser as prioridades do Crea, incluem uma melhoria na eficiência da fiscalização.

Mas é importante observar que ao fazer essa escolha o profissional não esta querendo ser mais fiscalizado. Quando ele pede por mais fiscalização ele tem um olhar para outro alvo: acobertadores (caneteiros), obras sem projeto, obras públicas sem engenharia, etc.

Por que os profissionais se sentem desatendidos ou insatisfeitos exatamente naquela que é a função primordial e, praticamente, a razão de existir do Crea?

A resposta parece estar NÃO na quantidade da fiscalização e NEM mesmo na sua qualidade, mas nas prioridades escolhidas pelas fiscalizações dos Crea (em geral). Não estamos fiscalizando pouco nem estamos fiscalizando mal. Estamos fiscalizando errado.

Para o profissional que está no campo a fiscalização do Crea representa uma espécie de marketing institucional ou uma força madrinheira.(*)

A fiscalização do Crea é, de certa maneira, uma motivação legal para que parte dos clientes procurem por serviços de Engenharia.

Quando o Crea adota uma fiscalização baseada em documentos, verificação de códigos, placa na obra, e outras coisas desse tipo o que se está fazendo é fiscalizar os profissionais que já estão, integrados ao sistema. Em outras palavras, está punindo (ou atrapalhando) o profissional que está regular e fechando os olhos para a imensa quantidade de obra irregulares, obras sem engenharia, grupos de clientes que desprezam ou não se sentem suficientemente motivados para a contratação dos serviços de Engenharia.

A relação, digamos, conturbada, dos profissionais com o Crea, decorre do fato de que o Crea ao agir, de acordo com a lei, cumprindo, portanto, a sua função legal, acaba justamente desagradando os profissionais que compõem o Crea, pois ao concentrar os seus esforços na fiscalização do perfeito exercício profissional acaba se esquecendo das obras onde o exercício da profissão não é sequer cogitado (quem dirá perfeito).

Não vai aqui uma defesa de uma fiscalização frouxa ao exercício profissional regular, que precisa ser feita, claro.

Porém, é preciso entender que, como o sistema se sustenta da contribuição involuntária dos profissionais que atuam no campo, a escolha desses profissionais como alvo prioritário de fiscalização está equivocada. Não ajuda o profissional regular além de causar uma péssima impressão. O profissional no campo acaba vendo o Crea não apenas como um órgão meramente arrecadador mas também como um inimigo. Uma instituição burocrática que existe para encontrar defeitos no seu trabalho.

Ainda que esses profissionais estejam efetivamente cometendo erros ou pequenas transgressões é importante observar que, do ponto de vista da Valorização Profissional isso não se compara às obras construídas sem Engenharia ou com ação vergonhosa dos acobertadores e a imensa quantidade de espaços no mercado que acabam não sendo alcançados pelos engenheiros exatamente pela falta desse instrumento legal de estímulo que a fiscalização do Crea poderia representar.

A fiscalização do Crea, portanto, precisa ser incorporada à estratégia geral da gestão do Crea.

O objetivo estratégico do Crea dever ser cumprir a sua função legal atendendo interesses dos bons profissionais. Punir aquele profissional que está fazendo um bom trabalho mas que esqueceu uma placa na obra ou colocou um código errado na ART ou cometeu algum erro na burocracia do registro do seu trabalho só vai fazer com que esse profissional se volte contra o sistema e se torne mais um dos seus detratores.

A fiscalização não pode ser entendida, dentro do Crea, como uma atividade isolada que pode se auto gerir. A fiscalização é uma atividade estratégica que deve estar ligada aos objetivos estratégicos da instituição.

A função do Crea é fiscalizar o exercício da profissão. Mas o objetivo do Crea não pode ser este. É preciso entender quais são, efetivamente, os objetivos do Crea e ajustar as atividades de fiscalização aos objetivos do Crea.

Em muitos Creas a fiscalização é um departamento isolado na estrutura burocrática da instituição. Existe por si só, como um fim em si mesmo. Não está integrado aos objetivos do Crea que, como entidade, sofre as consequências da sua produtividade.
Isto é, claro, uma inversão extremamente nociva aos interesses estratégicos da instituição.

No Crea, a pessoa responsável pelas ações de fiscalização, não pode ser um burocrata que conta pontos por multa emitida ou profissional punido. É preciso que seja alguém com visão estratégica alinhada à presidência. Alinhada aos interesses estratégicos da gestão.





PADILHA, Ênio. 2020




(*) No tempo dos tropeiros, força madrinheira era um grupo que viajava na frente, geralmente para organizar e garantir pouso, água e comida para a tropa que vinha algumas horas atrás.




Leia também: CARTA AOS PRESIDENTES ELEITOS DOS CREAS
Uma eleição cria, em torno do candidato, uma bolha de otimismo e de apoio. Nesta bolha ninguém (a não ser que seja muito amigo) irá apontar o dedo e dizer que você está errado. Isso é um perigo. Você não pode levar essa bolha para dentro do Crea. Lembre-se da frase de Santo Agostinho: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."

O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA
A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.

TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO
Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

FISCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA
É comum que o presidente do Crea defina a si mesmo como um Gestor. Mas não foi para isso que ele foi eleito. Ele foi escolhido para liderar. Existe uma diferença entre essas duas coisas.

OS DOIS PRINCIPAIS RECURSOS DE MARKETING DO CREA
Promover eventos e fazer publicações são as principais atividades MEIO de um Conselho Profissional, uma vez que são os eventos, juntamente com as publicações, as ações pelas quais a organização reúne e obtém o envolvimento de pessoas visando a consecução dos seus objetivos finais

ELEIÇÕES NO SISTEMA CONFEA CREA 2020 (RESULTADOS)
Relação dos candidatos eleitos em todos os Creas





Clique AQUI e deixe o seu comentário.

TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO

Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

No entanto, na média, menos de 1% do público de interesse assiste as plenárias ao vivo no YouTube ou mesmo os vídeos que são mantidos no ar, depois que as plenárias são encerradas.





Imagem: OitoNoveTrês



(Ano 01 – Número 03 – Publicado em 21/10/2020)



O que os Creas deveriam fazer, já que esse investimento para transmitir ao vivo tem sido um dinheiro jogado fora? Interromper essa atividade? Parar de fazer a transmissão ao vivo?

Não, não, não. De jeito nenhum! Não podemos dar esse passo para trás.

O que o Crea precisa fazer é se perguntar: ”por que ninguém assiste as transmissões ao vivo das reuniões plenárias na internet?”

Vou responder por mim: eu até assistiria (na verdade, tento assistir, algumas vezes). Sou um cara interessado nas coisas do Sistema Profissional. Gostaria de saber o que está sendo discutido e votado nas Reuniões. Mas eu não tenho tempo para ficar na frente do computador assistindo a transmissão, muitas vezes sem saber o que está sendo discutido, quem está falando e, mais importante: o que já foi discutido e o que ainda será discutido no decorrer daquela reunião.

Ocorreu-me, então, uma coisa, que eu li no livro VIRANDO A PRÓPRIA MESA, do empresário paulista Ricardo Semler, publicado em 1984. No livro Semler conta que quando assumiu a empresa determinou que os números da organização deveriam ser transparentes. Que todos, até o empregado mais humilde deveria ter acesso aos balanços e relatórios financeiros da empresa.

A decisão, em si, era formidável. Mas ele logo percebeu que, passada a euforia da novidade, os empregados perderam o interesse por aquilo, por uma simples razão: eles não estavam entendendo nada daqueles números e tabelas.

Semler, então, fez uma coisa importante: determinou que fossem ministrados cursos para os empregados que quisessem entender os balanços e relatórios. Em linguagem simples os empregados aprenderam a ler os balanços, a saber quais números realmente importavam e onde procurar (naquela floresta de números e tabelas) as coisas que realmente tinham significado. Foi um sucesso. Semler conseguiu seu objetivo: uma administração realmente transparente.

Publicar simplesmente os balanços (ou transmitir ao vivo as reuniões plenárias) não torna a organização realmente transparente. Apenas translúcida.

Portanto, para maior transparência nas reuniões plenárias eu proponho o seguinte:

(1) Que, na mesma página em que seja disponibilizado o vídeo com a transmissão ao vivo da Reunião Plenária o Crea disponibilize a Pauta da Reunião, com a previsão dos itens que serão discutidos e os projetos que serão votado;

(2) Que seja feito, nessa mesma página, um acompanhamento da reunião em texto, atualizado de 10 em 10 minutos, com o registro dos assuntos que já foram discutidos e qual foi o resultado;

(3) No YouTube (na descrição do vídeo) existe o recurso de fazer uma LINHA DO TEMPO em que cada tópico ou assunto é marcado com seu respectivo tempo (minuto e segundo) facilitando que o internauta possa pular diretamente para aquele ponto no vídeo.

Enfim, facilitar que o profissional, que trabalha, que tem um escritório para administrar e não dispõe de dois dias inteiros para acompanhar um evento dessa natureza possa saber:
• O que está acontecendo
• O que já aconteceu
• O que ainda vai acontecer (e quando)

Do ponto de vista logístico, tenho certeza de que isto não é difícil (e não representa praticamente nenhum custo). É um trabalho que pode perfeitamente ser realizado por um dos assessores da Plenária ou mesmo por um jornalista do próprio Crea (o que seria mais interessante, pois a linguagem seria mais atraente para o público interessado).

E, o mais importante: isto pode ser feito JÁ. Pode ser feito na próxima Reunião Plenária. E pode aumentar o número de interessados em assistir ao vivo essas transmissões.

Do jeito que está sendo feita a transmissão das plenárias a coisa tá translúcida (o que é melhor do que se não houvesse a transmissão ao vivo e o vídeo gravado disponível para os profissionais). Mas é preciso muito mais do que isso para obter a verdadeira (e desejável) transparência.





PADILHA, Ênio. 2020





Leia também: CARTA AOS PRESIDENTES ELEITOS DOS CREAS
Uma eleição cria, em torno do candidato, uma bolha de otimismo e de apoio. Nesta bolha ninguém (a não ser que seja muito amigo) irá apontar o dedo e dizer que você está errado. Isso é um perigo. Você não pode levar essa bolha para dentro do Crea. Lembre-se da frase de Santo Agostinho: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."

O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA
A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.

TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO
Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

FISCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA
É comum que o presidente do Crea defina a si mesmo como um Gestor. Mas não foi para isso que ele foi eleito. Ele foi escolhido para liderar. Existe uma diferença entre essas duas coisas.

OS DOIS PRINCIPAIS RECURSOS DE MARKETING DO CREA
Promover eventos e fazer publicações são as principais atividades MEIO de um Conselho Profissional, uma vez que são os eventos, juntamente com as publicações, as ações pelas quais a organização reúne e obtém o envolvimento de pessoas visando a consecução dos seus objetivos finais

ELEIÇÕES NO SISTEMA CONFEA CREA 2020 (RESULTADOS)
Relação dos candidatos eleitos em todos os Creas





Este post já tem um comentário. Quer ler? Clique AQUI

CARTA AOS PRESIDENTES ELEITOS DOS CREAS

Meu caro Presidente eleito do Crea.
Uma campanha que deveria ter durado 3 meses acabou, por força dessa pandemia, se arrastando por 7 meses.
Para quem era presidente e se licenciou para poder participar da campanha, houve uma perda de 7 dos 36 meses do mandato (quase 20%. Não é pouco!). Para os demais o problema não foi muito menor. O investimento de tempo, recursos financeiros e, principalmente, energia foi muito maior do que deveria ter sido.

Foi muito desgastante. Finalmente acabou e você venceu. Parabéns.

Mas não pense que os próximos 3 anos serão fáceis. Os desafios são imensos. E alguns problemas crônicos do nosso sistema profissional estarão esperando por você no início de janeiro. O enfrentamento desses problemas irá exigir liderança, competência política e estratégia. Espero que a senhora ou o senhor esteja preparado?





Imagem: OitoNoveTrês



(Ano 01 - Número 01 – Publicado em 06/10/2020)



Pelo que eu pude acompanhar, na maioria dos Creas as vitórias foram apertadas, por uma margem muito estreita. Isso é uma clara decorrência do tempo de duração da campanha que provocou muitas mudanças de comportamento em relação às campanhas tradicionais.

Mas é também um resultado da mudança no perfil dos profissionais eleitores. A faixa etária média da Engenharia, no Brasil caiu muito nesse últimos 15 anos. A quantidade de profissionais com menos de 30 anos já deve estar chegando nos 50%. É muita gente. Esse povo precisa ser ouvido. Suas demandas precisam ser identificadas e atendidas.

Um dos maiores desafios do nosso sistema Confea/Crea e tornar-se menos burocrático e desamarrado. Nossos jovens profissionais estão acostumados às Fintecs (os Nubanks da vida). Querem tudo simplificado e sem burocracias desnecessárias. E, atenção: ELES TÊM RAZÃO. Quem demorar muito para entender isso vai ficar pelo caminho (alguns já ficaram nessa eleição que acabou de acontecer).

Os processos de decisão precisam ser simplificados. Os trabalhos precisam ser interligados por ERPs* eficientes. Os Creas precisam ser preparados para a terceira década do Século XXI.

Outra coisa importante: como já foi dito lá no primeiro parágrafo, praticamente não aconteceram vitórias por goleada. Todos os eleitos deixaram para trás adversários com muitos votos e, consequentemente, muitos seguidores.

Uma eleição cria, em torno do candidato, uma bolha de otimismo e de apoio. Nesta bolha ninguém (a não ser que seja muito amigo) irá apontar o dedo e dizer que você está errado. Isso é um perigo. Você não pode levar essa bolha para dentro do Crea. Lembre-se da frase de Santo Agostinho: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."

Neste momento é preciso entender que a eleição já passou. A campanha precisa ser deixada pra trás. A primeira e mais importante missão é unificar a Engenharia e a Agronomia do seu estado em torno de projetos que sejam importantes para todos. Concepção e implementação de uma estratégia inteligente será essencial, especialmente nos primeiros meses.

Você não pode cair na tentação de administrar apenas para o grupo que o elegeu. Isso foi a desgraça de muitos governadores eleitos em 2018 e que agora estão enfrentando grandes dificuldades.

Será necessário negociar. E negociar é fazer concessões. Lembre-se disso.





PADILHA, Ênio. 2020




ERP (Enterprise Resource Planning), no Brasil também conhecido como SIGE (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial) são sistemas, geralmente softwares aplicativos, utilizados pelas empresas para fazer registro e controle de TODAS as atividades da empresa de forma integrada.




Leia também: CARTA AOS PRESIDENTES ELEITOS DOS CREAS
Uma eleição cria, em torno do candidato, uma bolha de otimismo e de apoio. Nesta bolha ninguém (a não ser que seja muito amigo) irá apontar o dedo e dizer que você está errado. Isso é um perigo. Você não pode levar essa bolha para dentro do Crea. Lembre-se da frase de Santo Agostinho: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem."

O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA
A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.

TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO
Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

FISCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA
É comum que o presidente do Crea defina a si mesmo como um Gestor. Mas não foi para isso que ele foi eleito. Ele foi escolhido para liderar. Existe uma diferença entre essas duas coisas.

OS DOIS PRINCIPAIS RECURSOS DE MARKETING DO CREA
Promover eventos e fazer publicações são as principais atividades MEIO de um Conselho Profissional, uma vez que são os eventos, juntamente com as publicações, as ações pelas quais a organização reúne e obtém o envolvimento de pessoas visando a consecução dos seus objetivos finais

ELEIÇÕES NO SISTEMA CONFEA CREA 2020 (RESULTADOS)
Relação dos candidatos eleitos em todos os Creas





Este post já tem um comentário. Quer ler? Clique AQUI

Pesquisar no título do artigo:   

Pesquisar no corpo do artigo:   

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

5509728