Notas publicadas em 20/02/2019 - quarta-feira

ENTRE ASPAS (www.eniopadilha.com.br)

"O verdadeiro patriotismo é o que concilia
a pátria com a humanidade."

JOAQUIM NABUCO

(1849-1910)
Político, diplomata, historiador brasileiro e um dos fundadores da
Academia Brasileira de Letras em Obras completas:
O abolicionismo. Conferências e discursos abolicionistas‎
, página 86

BLOG DO ÊNIO PADILHA

VALE A PENA PARTICIPAR DE ENTIDADES DE CLASSE?


ÊNIO PADILHA
professor@eniopadilha.com.br






Em 2010 aconteceu (em Cuiabá) o 7º Congresso Nacional dos Profissionais do Sistema Confea/Crea.

Centenas de eventos preparatórios (locais, regionais e estaduais) foram realizados no Brasil inteiro, envolvendo todos os profissionais interessados em participar do processo. Para orientar as discussões desses eventos preparatórios o Confea elaborou um caderno com Textos Referenciais relativos aos diversos temas do Congresso.

Um desses textos foi escrito por mim, para o Eixo Referencial EXERCÍCIO PROFISSIONAL e tem o título "O EXERCÍCIO PROFISSIONAL E A SUSTENTABILIDADE DAS PROFISSÕES: UMA ABORDAGEM MERCADOLÓGICA" (16 páginas). O tópico 5 deste artigo relaciona "Dez Elementos para o Exercício Profissional Sustentável". E aqui está um desses elementos:


5.3 ENVOLVER-SE NAS ATIVIDADES DAS ORGANIZAÇÕES PROFISSIONAIS

Ninguém questiona o fato de que a valorização profissional e o engrandecimento da marca profissional no mercado passa pelo fortalecimento das Entidades de Classe.

Mas o que é uma Entidade de Classe Forte? Se um dirigente pretende fortalecer as entidades de classe, como podemos avaliar o seu desempenho nessa missão? E por que existe esse consenso de que Entidade de Classe Forte é igual à profissão forte e valorizada?

Vamos por partes. E começamos pela última questão: Entidades de Classe são organizações que, geralmente, são bem acolhidas pela sociedade. Em geral, são vistas como uma manifestação coletiva dos indivíduos que a compõem. Uma espécie de representante do pensamento do grupo na sociedade. Por serem organizações que brotam de dentro pra fora (e de baixo pra cima, fruto da vontade de seus integrantes originais) são, geralmente, consideradas mais legítimas do que organizações que existem para dar suporte a determinações legais (como os conselhos e sindicatos).

Em outras palavras, as entidades de classe são a parte, digamos assim, pura, das organizações do sistema. Ou, pelo menos, é assim que são vistas pela sociedade. Se elas forem fortes e determinantes a profissão que ela representa tende a ser considerado forte e determinante também.

E o que é ser uma entidade forte e determinante? É ser percebida, pela sociedade, como uma instituição que precisa ser ouvida e respeitada nas questões que envolvem o objeto da profissão representada. Se, numa determinada cidade, a prefeitura promove uma discussão sobre saúde pública e dela não participa, de forma determinante, a Associação Médica local, podemos ter certeza de que essa entidade de classe não é forte. Da mesma forma, uma Entidade de Classe de Engenharia, de Arquitetura ou de Agronomia, para ser considerada forte, precisa estar presente, de forma determinante, em todas as discussões da região que envolvem os objetos de interesse dessas profissões (isto significa praticamente toda a atividade social da região).

Por isso, ser presidente, membro da diretoria ou participante ativo da sua entidade de classe é tão interessante e constitui uma contribuição tão relevante para o engrandecimento da categoria e a valorização profissional.

Participar da Entidade de Classe e trabalhar pelo seu funcionamento e crescimento, tarefa que geralmente consome tempo e energia sem nenhuma contrapartida direta é um gesto de desprendimento que caracteriza os profissionais que desejam verdadeiramente que a profissão seja valorizada e que a marca profissional permaneça viva (e forte) na mente das pessoas.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




DIVULGAÇÃO





Para copiar e reproduzir este artigo, conheça nossas REGRAS PARA PUBLICAÇÕES




(veja o artigo completo, baixando o arquivo abaixo)

O EXERCÍCIO PROFISSIONAL E A SUSTENTABILIDADE DAS PROFISSÕES: UMA ABORDAGEM MERCADOLÓGICA
(arquivo .PDF - 15pág)

---ValorizacaoProfissional ---EntidadedeClasse

DEIXE SEUS COMENTÁRIOS

BLOG DO ÊNIO PADILHA

Anotações

VEJA 6 CASTELOS BRITÂNICOS EM RUÍNAS VOLTAREM À VIDA

(Publicado em 05/12/2018)



A paisagem do Reino Unido está repleta de castelos históricos que remontam a séculos passados. Antes estruturas que eram motivo de orgulho e dominavam a paisagem circundante, muitas casas, castelos e igrejas, desde então, colapsaram em ruínas. Enquanto essas ruínas evocam um senso de magia e curiosidade por si só, um estudo sobre como eram esses castelos em seu auge é algo que vale a pena.

Com isso em mente, a Onward e a NoeMam Studios uniram forças para reconstruir digitalmente seis castelos em ruínas encontrados na Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. A série de gifs apresenta os castelos reemergindo da paisagem, recontando o senso de lugar ao mostrar “o verdadeiro esplendor desfrutado e defendido pelos barões, rainhas e reis de antigamente".



Para obter mais informações visite archdaily

Comentários

ENGENHARIA

ENGENHARIA, A ESPINHA DORSAL PARA O
DESENVOLVIMENTO HUMANO
Joel Krüger é eng. civil, professor universitário e
presidente do CONFEA

(Publicado em 05/02/2019)



Reconhecida mundialmente pela sua qualidade e eficiência, a engenharia brasileira vem sendo atingida por episódios que mostram que é necessário repensar urgentemente o modelo vigente. O último deles – o rompimento da barragem da mineradora Vale, em Brumadinho (MG) – a cada instante causa comoção a milhares de famílias direta ou indiretamente ligadas ao trágico acontecimento. Até o momento centenas de mortes e desaparecidos e a certeza de mais um desastre ambiental de grandes proporções.

A nova tragédia ocorre há apenas três anos após o rompimento da barragem de Mariana, que matou 19 pessoas e provocou um mar de destruição ambiental que avançou sobre a bacia do rio Doce até chegar ao litoral do Espírito Santo. Enquanto todos nós acompanhamos apreensivos os resgates e notícias acerca dos desaparecidos de Brumadinho, fala-se em falta de fiscalização, quando o cerne da questão é muito maior. É preciso que a engenharia nacional volte a ser pensada sobre os quatro pilares fundamentais: planejamento, projeto, execução e manutenção, como uma ciência capaz de promover o progresso e o bem-estar da humanidade.



Para obter mais informações visite confea.org

Comentários

ENGENHARIA

UMA ABORDAGEM GERAL DO TEMA CENTRAL DO 10º CONGRESSO NACIONAL DE PROFISSIONAIS
(Engenheiro Edison Flávio Macedo)

(Publicado em 16/02/2019)



O engenheiro Edison Macedo, importante pensador da Engenharia Brasileira, acabou de publicar um importante artigo referencial sobre o tema central do 10º CNP — Congresso Nacional dos Profissionais do Sistema Confea/Crea.

No artigo o autor responde exaustiva e datalhadamente a uma pergunta crucial: POR QUE HÁ INTERESSE SOCIAL NA MAIOR PARTICIPAÇÃO DA ENGENHARIA NA ÁREA PÚBLICA?

Essas respostas, à medida que se sobrepõem, fortalecem a convicção de que é mesmo necessária e urgente que a Engenharia Brasileira tenha uma proposta de Estratégia para o Brasil.

O momento é agora. O Tema Central do CNP não poderia ser melhor.

Recomendo a todos os colegas engenheiros do Brasil a leitura e reflexão do texto, pois entendo que quanto maior for o número de colegas que conseguirem entender o tema e se dispuserem a se debruçar sobre ele, mais perto estaremos de uma proposta interessante e exequível de uma proposta de Estratégia da Engenharia Brasileira para o país.



Clique aqui para ler o artigo UMA ABORDAGEM GERAL DO TEMA CENTRAL DO 10º CONGRESSO NACIONAL DE PROFISSIONAIS do colega engenheiro Edison Flavio Macedo



Deixe aqui seu comentário

Divulgação

ENEAE 2019 - ENCONTRO NACIONAL DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA



Agora você tem um bom motivo para visitar Balneário Camboriú





Garanta sua inscrição. Venha trocar ideias e experiências com dirigentes de escritórios iguais ao seu em outros lugares do Brasil. Comece 2019 com o pé direito.

Palestrantes confirmados:



RICARDO MEIRA
Como falir o seu escritório
(Os sete pecados capitais da gestão de um escritório de projetos)




RAQUEL FÜLEP
Empreendedorismo associado a escritórios de Arquitetura e Engenharia
(Como é possível unir esforços estratégicos do escritório para criação e sustentação de novos negócios)



CRISTIANO CHAUSSARD
O que há de real no mundo virtual
(Uma abordagem para engenheiros e arquitetos. Como ampliar os seus negócios utilizando a internet)



ÊNIO PADILHA
O Contrato Social e sua importância para o sucesso da Sociedade Empresarial
(Os principais erros cometidos pelos profissionais antes de fazerem sociedade empresarial; Como o contrato social pode prever (e prevenir) os principais problemas de uma sociedade; Poderes e direitos inalienáveis de sócios minoritários)




---Padilha, Ênio. 2018

Deixe aqui seu comentário